A POLÍTICA EM MODA

07.junho.2020

"Peaceful Protest" - Kevin Yaun


(Glossário abaixo)

Cabulei (1) muita aula de OSPB (2), EMC (3) e PFTHC (4) na minha época de estudante.

Se por um lado sinto um arrependimento por não ter me aprofundado na matéria de introdução à política, por outro lado intuo que nada adiantaria para ajudar a compreender melhor a política que vivemos. Ademais, como todo brasileiro, sou pós-graduada em politicaos (5) na nossa história com tantos partidos sem ideologia, siglas da A a Z, políticos de todas as tribos, coisas que nenhum dos livros - que eu deixei de ler - poderia prever.

Não me meto em discussão política e preferia não me preocupar com esse assunto. Porém, mais do que nunca, somos obrigados a falar e pensar política. Porque agora a política afeta de forma ainda mais direta a nossa saúde, bolso, rotina e ... nosso casamento.

Somos governados por um presidente sem partido e sem juízo, que chamou o vírus para briga e usa o povo como escudo.

São barbaridades diárias que enlouquecem os cidadãos, provocando histeria tanto aos que o atacam com um ódio pessoal, como aos que o apoiam religiosamente.

Temo receber uma bala perdida no meio do tiroteio dessa guerra política.

Hoje, o medo do politicamente incorreto fez a política se tornar uma moda. Não basta ser antifascista (é óbvio que somos antifascistas, até mesmo os fascistas disfarçados o são); as pessoas precisam ser vistas como tal, e para tanto, propagam fotos, hashtags, frases de impacto (nas redes sociais, sempre elas!), com discursos na maioria das vezes vazios (6). Muitos dos que vão às ruas, logo se esquecem do sentimento institucional e partem para os socos e pontapés.

Quanto menos conhecimento se tem de alguma coisa, mais se tenta espalhar; tal qual fazemos para espalhar geleia no pão. Grande parte desse barulho vem da falta de geleia.

Acontecem coisas inimagináveis nesse país. Por isso, não ouso levantar bandeira nenhuma, apesar de ter a minha ideologia.

Já fui Marxista na adolescência (quem não?) e confesso que a ideia de alcançar uma sociedade igualitária faz meus olhos brilharem. Mas, hoje, os limites impostos pela realidade, fez a ideia me parecer inviável; e não penso mais em Marx (7).

Afinal, existe um ideal válido? Os polaristas (8) respondem que sim.

Polarização é a crença de que existe apenas um único ideal válido: ou você obedece a esse ideal ou não merece existir (9). A polarização leva a uma certa cegueira, uma grande burrice e uma enorme baixeza ética.

Infelizmente, nosso comandante foi reprovado no mais importante teste de tolerância (10) da história do país.

Urge que nos mantenhamos informados, ainda que nosso reality show esteja na sua pior parte. Os livros sobre o tema nos norteiam e ajudam nossas mentes (11), mas o fato é que a mídia é atualmente a nossa maior fonte de informações. E para exercer seu papel com eficiência e honestidade, ela deve se abster de qualquer posicionamento político: simplesmente narrar os fatos e deixar ao leitor ou ouvinte que tire suas próprias conclusões.

Assim como é ingrato saber para qual time de futebol o narrador torce, ver a política partidária feita pelos meios de comunicação é no mínimo *#%&Ø (12).

Nunca a responsabilidade da mídia foi tão importante, para o bem e para o mal. Escolher o canal que vamos ouvir o noticiário virou uma opção política.

E desligar a TV, às vezes, é a melhor das manifestações.

(1) Cabular: expressão usada no século passado, o mesmo que matar aula

(2) Politicaos: Política + caos. Não procure no dicionário

(3) OSPB: Organização Social e Política Brasileira

(4) EMC: Educação Moral e Cívica

(5) PFTHC: Problemas Filosóficos e Teológicos do Homem Contemporâneo. Quem fez PUC conhece

(6) Isso não é de hoje. Já dizia Nelson Rodrigues: “Eu amo a juventude como tal. O que eu abomino é o jovem idiota, o jovem inepto, que escreve nas paredes ‘É proibido proibir’ e carrega cartazes de Lênin, Mao, Guevara e Fidel, autores de proibições mais brutais”

(7) “Quem não foi comunista até os vinte anos não tem coração, quem é depois dos trinta não tem juízo” – autor desconhecido (que eu adoraria conhecer)

(8) Polaristas: adjetivo de polarização; defensores de uma ideia raiz, até o fim. Não procure no dicionário

(9) Se colocarmos seus pensamentos em volume alto ouviríamos: “O que eu penso está certo, se você pensa diferente de mim, está errado. Não merece ser ouvido e, se insistir, viramos inimigos.”

(10) “A tolerância é o único teste real da civilização” – Arthur Helps. Ressalte-se: século XIX

(11) Uma verdade com trocadilho: Se não tivermos uma visão histórica, teremos uma visão histérica das coisas

(12) Censurado


clique aqui para ler outros posts

inscreva-se no site

1 comentário