NOSSOS 'MUITO AMIGOS'

23.dezembro.2020


Tem os amigos de infância, os da faculdade, os da praia, os da profissão, os do esporte. Tem os pais de amigos dos filhos que viram amigos, e os filhos dos amigos dos pais que viram amigos. Tem os quatro mil amigos nas redes sociais, mas esses não contam.

Tem os amigos que moram longe, cuja presença é constante na sua vida. Aqueles que já sabem pelo seu "alô" se você está ocupado, feliz ou com fome.

Tem aquele amigo que todos achavam ser o seu par ideal e que hoje é amigo do seu par ideal.

Tem os primos-irmãos, que não são só primos. São irmãos, unidos pelo DNA. Um por todos, todos por um.

Tem amigos que partem cedo. Deixam uma saudade sem fim. “Naquela mesa tá faltando ele, e a saudade dele, tá doendo em mim”. Tão longe, mas tão dentro.

Tem as amizades que só meninas têm.

Tem aquelas amigas que, de tão grudadas, se sentam no banco da frente do carro, apertadas, para não se separaram no caminho, seja no Fiat, no Maverick ou na vida.

Tem aquelas com quem você come brigadeiro na colher, pé de moleque e ri até a paçoca sair pelo nariz. Apoio, cumplicidade, choros, emoções e muitas risadas.

Tem a cunhada, que o cunhado não poderia ter escolhido melhor. Que tem um radar, um olhar supersônico e um ouvido extrassensorial. Ligação de sangue, mesmo sem ser do mesmo sangue.

Tem os amigos mais jovens. Lindos, descolados, espertos, engraçados. O que eles veem em você? Não importa. Você os quer e pronto.

Tem a amiga que chega um pouco mais tarde para ocupar em você um lugar que sempre foi dela. Mesma filosofia, mesma liberdade, mesmo comprometimento, mesmas loucuras. Tão diferentes e tão iguais.

Tem as amizades-família, quando tudo bate. Marido, filhos, identidade, cachorro, humor. Um tesouro!

Tem até aqueles que você ganhou de brinde na pandemia, espalhados pelo mundo, para deliciosas jornadas criativas. Valeu Zoom.

Tem aquele que você conhece o formato da lágrima, os 32 dentes e as pintas no braço. Aquele que você sabe de cor, mas que continua te surpreendendo.

Tem amigos que começam como arquitetos, fisioterapeutas, professores, que fazem você querer continuar o trabalho para ter o pretexto para permanecer ligado.

Tem o amigo irônico, inteligente, provocativo. Que é protagonista na sua vida, sem fazer barulho.

Amigos de verdade são assim. Te entendem, te traduzem, te acalmam, te importam. Fazem você enxergar a sua melhor versão, e quando necessário, a sua pior versão.

Te fazem rir. Simplificam o que você complica, sem nunca te deixar cair na banalidade.

Conseguem ser sinceros sem atalhos, mesmo que isso dê mais trabalho.

Captam os seus olhares e compreendem os seus silêncios. Torcem por você, ficam felizes com o seu sucesso, com a sua magreza, com a sua riqueza.

Amamos nossos amigos porque eles são eles, e nós somos nós. Porque eles nos ajudam a ser o que somos. E no fim, acabamos sendo um pouco do que o outro é.

Não tenho muitos amigos, sinto-me completa com os meus poucos "muito amigos".


clique aqui para ler outros posts

inscreva-se no site

3 comentários