UNIVERSO PARALELO

27.maio.2020


"We may have spotted a parallel universe going backwards in time"

Revista NewScientist

Essa semana ganhou espaço nos noticiários o assunto da Nasa ter descoberto um "universo paralelo", no qual o tempo corre para trás.

Pelo que li e pouco entendi: os cientistas propuseram a existência de um antiuniverso, com propriedades invertidas com relação ao nosso Universo.

Muitos ficaram animados para fugir desse inverno de 2020 e voltar para o verão de 2019, deixando suas máscaras em casa, para se jogar às multidões e abraçar muito.

Ou voltar um pouco mais no tempo e espiar como se viravam os nossos ancestrais sem a tecnologia que, hoje, para nós, tem a mesma importância do oxigênio que respiramos. Ou ainda, ir além e brincar com dinossauros.

Não demorou um dia para a descoberta ser desmentida.

Os jornalistas se anteciparam a propagar a notícia, entendendo metade da história - o que é pior do que não entender nada (antes um total ignorante sobre determinado assunto do que um meio ignorante) - e o sonho de viajar para um tempo/universo paralelo ficou adiado.

Mas a ideia permaneceu na minha mente.

O vírus que ao mesmo tempo debocha das nossas certezas, abre a possibilidade de nos transportar para esse universo paralelo.

Jamais recuaríamos se essa não fosse a nossa última saída.

Paramos tudo. Nos afastamos das pessoas. Demos um passo para trás. Retrocedemos e voltamos a habitar um espaço que sempre nos pertenceu, mas que foi roubado sem a gente perceber.

Distinguimos a solitude da solidão.

Sinto, no meu isolamento, que o meu cérebro se auto entretém e se diverte sozinho, criando suas próprias experiências, um pouco aliviado do excesso de estímulos externos. E não me sinto sozinha.

Essa pausa nos leva a um conhecimento da vida própria que mora no nosso interior; estimula pensamentos mais livres.

O paradoxo: o vírus parasita, que depende de alguém ou de uma matéria para existir, abre espaço para enxergarmos nossas dependências ilusórias; nos mostra um pouco da nossa autossuficiência.

Voltando à notícia científica, o pesquisador explica: "Encontramos um pequeno número de anomalias em nossos dados e, uma vez esgotadas todas as explicações possíveis dentro do Modelo Padrão de Física, só então será hora de considerar outras ideias que ultrapassam esses limites".

Não faço ideia do que isso signifique no âmbito da ciência, mas tomo emprestadas algumas palavras-chaves e expressões, tão emblemáticas para esse nosso atual universo paralelo: “anomalias”; “esgotamento de todas as explicações possíveis”; “hora de considerar outras ideias” e “ultrapassar esse limite”.

É autoexplicativo.


clique aqui para ler outros posts

inscreva-se no site


1 comentário